74
Sem Limites

Os olhares que cruzei e as almas que conheci
O sentido se vai, mas os sentimentos permanecem
As cores e faces que admirei
Vão aos poucos se apagando da minha memória
E a única coisa que se mantêm é o amor que guardei
Tanto que olhei e pouco que realmente vi
Mas quem disse que me arrependi?
Não se olha somente com os olhos
As almas se tocam sem precisar se ver
Os sentimentos se expandem dentro de mim
Quem disse que preciso ver para enxergar?
Os olhos podem ser as portas da alma
Mas o tato é a chave para abrí-las
Enquanto puder tocar, enquanto meu sangue correr
Me conectarei a quantos conseguir
Pois não há limites para sentir

Outras Poesias

Utilizamos cookies para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais sobre o uso de cookies, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa política.