53
Não há tempo para sentir

O desespero seria inevitável
Seguraria tudo e todos no meu braço
Tentando distribuir minha atenção
Em todos no mesmo nível

Minha filha
Seus traços conhecidos por mim
Gravaria
Mesmo que tivesse decorado os detalhes ate o fim

Veria a beleza conhecida envelhecida
De quem já cruzou a minha vida
De meus amigos e minha família
Mirarei tudo que já tive em vista

Sobraria tem para algo novo?
De algo inusitado
De algum lugar em outro estado
Pais ou continente não explorado?

Eu acredito que não.
Tudo que amei por visão
Tudo por aquilo que criei paixão
Já está estampando na alma
Tem lugar reservado no coração
Tempo fútil gasto com calma

Historicamente, não perdi nada
Gozei da visão acordado e nos sonhos
E sentirei falta dos fáceis espantos
Proporcionados por um volto na conto dos olhos
Que seria um casaco jogado em um encosto

Talvez seja mesmo a hora
De aposentar os olhos
De fechar os olhos e ver com o coração
Me lembro de ver beleza
Mas muito menos de ouvi-la
Ou mesmo de senti-la
Talvez minha filha e todos os outros
Se tornem mais bonitos
Se eu deixar de ver

Seria necessário escutar
Antes de falar
Seria necessário sentir
Antes de largar
Seria necessário outro tipo de experiencia
Antes de largar

Outras Poesias

Utilizamos cookies para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais sobre o uso de cookies, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa política.